Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Unhaul

Começamos bem o ano, começamos... É o que dá quando me ponho a ver a minha enorme TBR e dou de caras com livros que já lá estão há imenso tempo e que eu já nem me lembro bem porquê. Tenho notado que ultimamente o meu gosto literário tem mudado de forma radical, e o que eu antes achava interessante já não me aquece nem arrefece. As sinopses parecem-me muito vagas e cada vez mais tenho visto YA's tão mal feitos... Não quer dizer que já não goste de YA, mas acho que cada vez mais começo a notar as particularidades piores. Assim, apeteceu-me fazer uma limpeza geral e mandar fora os livros que tenho a certeza que não vou pegar nunca.

 

A Great and Terrible Beauty (Gemma Doyle, #1)  Rebel Angels (Gemma Doyle, #2)  The Sweet Far Thing (Gemma Doyle, #3)
Em tempos achei mesmo que ia ler esta trilogia. Sim, os livros são gigantes, mas curiosamente não me assustavam. Foram ficando, ficando... E nunca lhes peguei. E não será agora, depois de já ter lido tantos clichés como já li, que o drama entre raparigas num colégio interno me vai apelar.
 
 
 


Shatter Me (Shatter Me, #1)  Unravel Me (Shatter Me, #2)  Ignite Me (Shatter Me #3)

Honestamente, não percebo como é que ainda tinha isto na TBR, é uma distopia que tem um triângulo amoroso, duas coisas que eu abomino, como???

 

Just One Day (Just One Day, #1) 

Na altura pareceu-me espetacular, agora não.

 

The Knife of Never Letting Go (Chaos Walking, #1)  The Ask and the Answer (Chaos Walking #2)  Monsters of Men (Chaos Walking, #3)
O meu problema com esta trilogia é somente o simples facto de ser distopia, porque já ouvi imensa gente a falar bem. Mas eu e as distopias...

 

   

Mais uma distopia, you know how i roll...