Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Tatiana + Alexander (Tatiana & Alexander)

 

Autora: Paullina Simons

Edição Portuguesa:Edições Asa

 

Sinopse

Tatiana: Com apenas dezoito anos, Tatiana está grávida e só. O seu marido, Alexander, foi acusado de espionagem e preso pela infame polícia secreta de Estaline. Alexander é um herói de guerra condecorado que carrega um segredo fatal. Nascido na América, vive encurralado desde a adolescência na União Soviética, para onde imigrou com os pais, que queriam viver o ideal comunista. Mas o brutal regime do país rapidamente destroçou os seus sonhos. Para se proteger, Alexander serviu o Exército Vermelho e fez-se passar por cidadão soviético. Para ele, a II Guerra Mundial é já uma causa perdida: tanto a derrota como a vitória significam a morte. As notícias que dão conta do triste destino de Alexander levam Tatiana a fugir para a América. Quando chega a Nova Iorque, ela é uma jovem viúva com um filho pequeno nos braços e um passado doloroso. Pouco tempo depois, tem um emprego, amigos e a vida com que nunca ousou sonhar. Mas a dor pela perda de Alexander nunca a abandona. Algures dentro de si e contra todas as evidências, ela continua a ouvir a voz do seu grande amor...

Alexander: Tatiana tropeçou no degrau e quase caiu. De joelhos ao lado dele, fez o que pensava não poder voltar a fazer em toda a sua vida: tocou em Alexander. E beijaram-se. Beijaram-se como se fossem de novo jovens nos bosques do Luga. Beijaram-se até esquecerem a guerra e o comunismo, a América e a Rússia. Beijaram-se e afastaram tudo, deixando ficar apenas o que restava – fragmentos de Tania e Shura. A viver na América com o filho, Tatiana tentou esquecer a mágoa pela perda do seu grande amor, Alexander. A sua vida seria perfeita se essa memória não estivesse presente a cada momento de cada dia. E quando uma improvável réstia de esperança de encontrar Alexander vivo se apodera dela, Tatiana não hesita. Deixa o pequeno Anthony aos cuidados da amiga Vikki e parte para uma derradeira e perigosa viagem à Alemanha. Em jogo está tudo o que construiu e a sua própria vida. Se for encontrada, Tatiana sabe que não escapará. É uma mulher marcada. Mas mais impossível do que o seu sonho é a incapacidade de aceitar a vida sem Alexander. Mais forte do que o medo é a promessa que fizeram um ao outro há tantos anos atrás: “viveremos juntos ou morreremos juntos.”

Opinião

Estão confusos com três capas? Pois, eu também fiquei. Especialmente quando vi a grossura do livro 'Alexander' e quando vi o número de páginas do 'The Summer Garden', que é o último livro da trilogia, ainda não publicado em Portugal. Continuam confusos? A editora, não sei bem porque razão, decidiu dividir o segundo livro desta trilogia em dois, fazendo que quando os leitores lêem na capa portuguesa de 'Alexander' "Livro III da Trilogia Tatiana & Alexander", acreditem que é o último livro da trilogia, que não é. É que nem tem a ver com os POV's: ambas as partes têm pontos de vista tanto da Taneshka como do Shura, por isso não compreendo esta decisão... Enfim, não sei se a editora vai ou não traduzir o último livro, The Summer Garden, fica a informação e a promessa que vai ser feita uma revisão aqui no blog, pelo menos.

 



Quando eu pensava que já nada me podia fazer ser mais parecida com a Tatiana, o Alexander diz que ela tem 1,57m... Adivinhem lá quanto é que eu meço? Pois.

Dei apenas (apenas) 4 estrelas a este livro porque me fez sofrer muito. No ínicio, retomam-se os episódios que finalizaram o livro anterior, e se querem que vos diga, foi frustração atrás de frustração. Quem lê isto pensa que o livro é mau, o que não é verdade, porque esta história é magnífica. Só que, na ansia de saber que raio se vai passar a seguir e como é que estes dois parvos se desenvencilham e ficam juntos, o livro pode tornar-se muito lento. Não é que eu não gostasse de saber mais sobre o passado do Alexander em pequeno, das situações que condicionaram a sua vida e o que trouxe os pais dele para a URSS, tal como gostei de ver como é que a Tania conseguir fugir para a América e como é que ela se adaptou à vida que lá encontrou, só que... EU SÓ QUERIA QUE ELES ESTIVESSEM JUNTOS OUTRA VEZ PERCEBEM? Quando queremos muito que aconteça um determinado momento num livro e parece que nunca mais, as coisas tornam-se desesperantes (só para que saibam, ambos só voltam a pousar os olhinhos - e não só - um no outro a 50 páginas do final do livro, e ele tem 501 páginas).

“I will make you insane, her memory screamed at her near the winter window sill as Tatiana smelled the brine of eternity. On the outside you will walk and smile as if indeed you are a normal woman, but on the inside you will twist and burn on the stake, I will never free you, you will never be free.”

“Alexander, tell me, how long have you loved my sister?” asked the dying Dasha. “Tell me, how long have you loved my sister?” “How long—have you—loved my sister?” Alexander should have replied, Dasha, if you had seen me standing mute, hearing the day fly, the May fly, an ephemera on a Sunday street singing, “Someday We’ll Meet in Lvov, My Love and I,” you would have your answer.


Estão a ver a minha vida? Estão a ver eu passar um livro inteiro a ver as peripécias de um e de outro, afastados por não sei quantos quilómetros e um oceano, com coisas como estas? Como raio é que querem que eu aguente as lágrimas???? E depois passam com cada coisa um e outro que eu nem sei...

Mais uma vez, parece que se passou uma vida ao ler este livro... Chega a ser cansativo, no final quase já nem reconhecemos o inicio, tanto já se passou. Emocionalmente desgastante não chega para expressar este livro, esta história, estes dois.

Gostei um pouquinho mais do primeiro livro, encontrei algumas incongruências neste enredo que não me fizeram achar muita piada, como o facto de a partir do momento em que a Tatia decide ir para a Alemanha, ser tudo 'demasiado fácil': na vida real existiriam outros obstáculos que os levavam à morte certa. Não gostei também de mais uma vez, o Alexander armar-se em parvo e começar a discutir quando as situações ficam mais desesperantes (epá mas também não percebo a Tatiana, acabaram de mandar um tiro a um gajo para poderem sobreviver e escapar e ela vai e decidi ir ver se gajo precisa de ajuda médica).

Estou desejosíssima para ver o que se vai passar no livro que vai concluir esta história, quero ver os momentos entre o Alexander e o filhote Anthony (omg mal posso esperar, deve ser cuteness overload, o miúdo é tão fofo, quando vir o pai até se passa), quero que não haja um novo vilão (OUSPENSKY PÁ! EU GOSTAVA DE TI, MESMO COM O TEU DEDO PARA AS PROSTITUTAS, TRAÍSTE A MINHA CONFIANÇA E A DO ALEXANDER) e quero que o Edward fique com a Vikki, porque foram personagens que eu gostei de conhecer e que ajudaram muito a Tania e quero que algo de bom aconteça ao Spapanov, que tem sido um pai para o Alexander. Altas expectativas!