Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Na Sombra do Sonho (Lover Unbound)

 

 

Autora: J. R. Ward

Edição Portuguesa: Casa das Letras

 

Sinopse

Em Caldwell, Nova Iorque, a guerra entre vampiros e os seus assassinos agrava-se com o surgimento de um grupo secreto de irmãos seis vampiros guerreiros, acérrimos defensores da sua raça. Contudo, o gélido coração deste temível e astuto predador aquecerá mesmo contra os seus desejos Impiedoso e brilhante, Vishous, filho de Bloodletter, carrega uma temível maldição consigo, a assustadora habilidade de prever o futuro. Foram inúmeras as tormentas e abusos por que passou enquanto crescia no campo de batalha do seu pai e, como qualquer outro membro da Irmandade, não tem interesse no amor ou em emoções, apenas na luta contra a Sociedade Lessening. Contudo, uma imprevista injúria mortal torna-o responsável por uma cirurgiã, Jane Whitcomb, levando-o a revelar a sua dor mais profunda e a sentir o verdadeiro prazer pela primeira vez até que o destino, que ele não escolheu, o leva a um futuro avassalador que não a inclui mais.

 

Opinião

Cá estamos mais um dia com o meu maior vicio desde... Ok todos os livros são o meu vicio.

O Vishous era foi para mim um dos Irmãos que mais me surpreendeu, porque eu no inicio não gostava nada dele, depois fui-me ligando emocionalmente a ele no Lover Revealed e neste livro foi o Boom! do fangirling.

No inicio do livro pensei que ia começar a ler outra vez o Fifty Shades of Grey, porque muito BDSM junto fez-me ficar um tanto hesitante. Mas nenhum Christian Gray me preparou para o Vishous. Se eu pensei que o Christian era louco, o Vishous... O que me vale é que a Jessica explora o lado perverso sem entrar num jogo muito nojento, porque senão tenho a certeza que tinha desistido do livro (SPOILER PARA DAQUI A MAIS UNS VOLUMES: e o pior vem no livro da Payne, aí é que eu me ia passando com tanto sadomassoquismo na vida do Vishous).