Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Sweet Reckoning

 

Autora: Wendy Higgins

Sem Lançamento em Portugal aquando da Revisão

 

Sinopse:

It’s time.
Evil is running rampant and sweet Anna Whitt is its target. Nobody knows when or how the Dukes will strike, but Anna and her Nephilim allies will do anything necessary to rid the earth of the demons and their oppressive ways.
The stakes are higher than ever, and Anna is determined that the love she feels will be her strength, not a liability. But trying to protect the ones she loves while running for her life and battling demonic forces proves to be perilous—especially as faces are changing and trust is fleeting. When the Duke of Lust sends Anna’s great love, Kaidan Rowe, to work against her, Anna must decide how much she’s prepared to risk.
In the most sensual and fast-paced installment yet, Sweet Reckoning brings all the beloved Neph together one last time to fight for their freedom.

 

Opinião:

Pude finalmente comprovar aquela que todos chamam 'maldição do segundo livro'. Este, apesar de não ter sido tão bom como o primeiro, esteve bem perto e com uma e outra coisa menos boa lá mais para o final, conseguiu ser uma boa conclusão da trilogia.

 




Tenho quase a certeza que já disse isto, mas adoro esta coisa das cores das auras que correspondem aos sentimentos. É pena que esta trilogia não esteja tão explorada como eu gostaria, daria uma história bastante épica se os pormenores desse universo fossem mais explicados e trabalhados. A média de páginas de cada livro é cerca de 200 e poucas páginas, por isso também não é de esperar que houvesse grande desenvolvimento neste aspecto. A minha sugestão é, como estes livros são tão simples e facilmente se esquecem alguns pormenores, fazer maratona dos três livros da trilogia, durante o verão. Porquê? Porque a escrita não é maravilhosa, o diálogo e a fluidez é muito básico, há erros aqui e ali, mas não deixa de ser uma leitura leve, engraçada e sobretudo, que entretêm bastante o leitor, e no verão tudo é mais fácil e não estamos a prestar tanta atenção a este tipo de coisinhas que no resto do ano nos preocupamos ao ler um livro.

Existiram umas reviravoltas que eu não estava nada à espera, que me surpreenderam bastante; esta é uma história tão 'fofa' e levezinha e depois quando acontecem as mortes é que se vê o quão algumas personagens pelas quais já tinha alguma simpatia. É bastante apto para esta altura de verão, especialmente para pessoas como eu que não gostam assim tanto de contemporâneos que se passem na praia (e que normalmente é o que se lê nas férias); não é nada de complicado, até porque a nossa mente nesta altura de férias anda muito aérea e não há disposição para calhamaços e coisas que puxam muito pela cabeça. Portanto, é uma bela leitura de verão, com um final feliz que regozija o coração nesta época de calor.