Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Silver Shadows

 

Autora: Richelle Mead

Sem Lançamento em Portugal aquando da Revisão

 

Sinopse

Sydney Sage is an Alchemist, one of a group of humans who dabble in magic and serve to bridge the worlds of humans and vampires. They protect vampire secrets—and human lives. In The Fiery Heart, Sydney risked everything to follow her gut, walking a dangerous line to keep her feelings hidden from the Alchemists. Now in the aftermath of an event that ripped their world apart, Sydney and Adrian struggle to pick up the pieces and find their way back to each other. But first, they have to survive. For Sydney, trapped and surrounded by adversaries, life becomes a daily struggle to hold on to her identity and the memories of those she loves. Meanwhile, Adrian clings to hope in the face of those who tell him Sydney is a lost cause, but the battle proves daunting as old demons and new temptations begin to seize hold of him. . . . Their worst fears now a chilling reality, Sydney and Adrian face their darkest hour in this heart-pounding fifth installment in the New York Times bestselling Bloodlines series, where all bets are off.

 

Opinião

Se as capas desta série não levam uma mudança urgentemente, cabeças vão rolar. Até ao Indigo Spell era tudo uns modelos com umas caras pareciam que queriam arrancar os olhos ao leitor, agora é estas que parece que foram editadas no paint...

 



Se querem que vos diga, estava à espera de melhor. Cheira-me que esta vai ser outra série onde não vai existir um livro sequer com 5 estrelas. O meu problema com esta série é que enquanto que ao principio estou super entusiasmada, depois vou perdendo o interesse no decorrer da história, porque acabam sempre por acontecer coisas completamente ridículas.

Tomemos o exemplo da Sydney conseguir interromper o fluxo de gás anestésico com apenas uma meia. Really? Era assim tão simples que mais nenhum outro alquimista teria pensado nisso? É que uma coisa é ter a Sydney, super inteligente, no meio do resto do mundo mais ignorante, outra coisa é ter um conjunto de alquimistas que, ainda em re-educação, continuam a ter lógica pensante (alguns). E o conseguir travar o canhão da porta com pastilha elástica? Enfim... O mesmo se passa com a fuga: a coisa mais complicada foi quando se descobriu que havia gente trancada, porque de resto foi só os miguitos fazerem o fogo e já estavam a ser evacuados poucos minutos depois do Adrian lá chegar. Mais uma vez não acredito que, mesmo que não tivesse dado certo, nunca ninguém tivesse pensado nisso antes.

A Richelle continua a perder tempo a explicar coisas que aconteceram e foram apresentadas em livros anteriores (tipo, na série Vampire Academy), não sei bem porquê. Também não gostei do facto de ela apresentar novos personagens e depois não lhes dar um destino; eu gostava de saber que raio se passou entre a Chantal e o Duncan e como é que eles ficaram depois da saída do centro de re-educação, para onde foi o resto do grupo com o Marcus, por aí adiante. É que nem sequer houve desenvolvimento dos personagens que já conheciamos: eu gostava de ter visto um bocadinho mais de interacção entre o Eddie e a Jill, saber quando é que a Olivia volta para o fofo dela... Existiu uma série de coisas não explicadas ou mal feitas que, a partir do meio, tornaram o livro muito esquisito.

Nem tudo é mau, though, por muito que pareça com esta revisão; é apenas um pouco infantil e maturo, sem ter muita relação com o que poderia acontecer na vida real, que para mim é fundamental, porque mesmo que adore fantasia, gosto de coisas com pés e cabeça. É um seguimento interessante do The Fiery Heart, mas não é aquele que, para mim, seria o perfeito: tem partes óptimas, muito cómicas e frustrantes (no bom sentido), e depois tem o lado mais imaturo que só apetece dar com a cabeça na parede. Esperemos que o livro que termina este spin-off de VA seja uma conclusão em cheio.