Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Prioridades 3.0 - Antecipando 2015

Eu fiz um post (aliás dois) durante este ano que tinha os livros que eu queria ler ao longo do ano. Só que... Bem vejamos os resultados, hoje que é o último dia do ano (os riscados são aqueles que eu li, os itálicos são os que deixaram de fazer parte da TBR):

 

Distopia (Matched e Uglies), Clássico (Anna Karenina ou On the Road), Erótica (Gabriel's Inferno e The Marriage Bargain), Contemporâneo (Love & Misadventure, Leaving Paradise, Just One Day & Just One Year, The Edge of Never & The Edge of Always, Why We Broke Up, Attachments e Fangirl),  Paranormal (House of Comarré, Fallen, Unhearthly, Lux, Beautiful Creatures, All Souls Trilogy, The Wolves of Mercy Falls, The Iron Fey,  The Raven Boys, Anna, The Forest of Hands and Teeth e The Ruby Red Trilogy), Autor Português (A vida num Sopro), Literatura Feminina nos Tops Portugueses (Mentiras Cruéis, Romance na Toscana, Fantasy LoverA Viela da Duquesa), Na TBR Há Mais de Dois Anos (The Luxe e Blue is for Nightmares).

 

Como podem comprovar, isto não correu muito bem. Entretanto, e não sei bem como, nos últimos dois meses do ano tive uma travadinha e comecei a perceber que muitos dos livros que eu tinha na TBR já não faziam grande parte do meu interesse e que, com base na minha experiência, cada vez mais os livros, principalmente do género YA, são mal desenvolvidos e as histórias cada vez são menos sentidas pelos autores e mais motivo para sucesso económico (por alguma razão a grande maioria das histórias são trilogias e séries). E também me apercebi que há um género, que eu antes odiava (qualquer dia conto a história) e que agora gosto imenso, que é romance histórico.

 

E por essa razão, o ano que aí vem tem escolhas que se mantêm e outras que são completamente diferentes. Não são necessariamente livros publicados em 2015, e mais uma vez não  vou colocar livros de séries que estou a seguir. No caso de novas séries vou apenas por o primeiro livro, porque pode correr mal... Este ano foram muitas as séries que queria ler e alguma as que desisti. Ao contrário do ano que está a passar, não têm propriamente ordem, à excepção do primeiro, que já escolhi para ser o primeiro de 2015. Confiram as minhas escolhas do outro lado.

 

 



Adult Romance Histórico

Este é de facto aquele que vai ser o primeiro livro de 2015, porque o recebi no Natal em formato físico e porque já o quero há muito tempo, e que é o The Bronze Horseman. Eu tenciono ler a trilogia o mais depressa possível que conseguir, e é sem dúvida dos mais antecipados do ano, espero que seja tudo aquilo que promete e que me ponha de rastos (não, não sou masoquista). Queria muito tentar ler o North & South, porque a minha mãe fala maravilhas da série dos anos 80, e já que tenho os livros porque não aproveitar? A Vida Num Sopro continua na TBR, porque eu tenho de o ler e pronto.

Clássicos
Quantos clássicos é que eu li este ano? Nenhum. Quantos vou ler no próximo ano? Esperemos que o Tale of Two Cities, o Jane Eyre, o Anna Karenina e tenho fé que pelo menos um da Jane Austen.

Adult Mistério e Contemporâneo
Rainbow Rowell tem de estar este ano também, por isso o Landline vai cá estar. E o Gone Girl também vai, que eu adorei o filme, fiquei super surpreendida, por isso vai de certezinha para o meu cérebro, tal como o  The Whole Golden World e os stand-alones da Sophie Kinsella.

YA Paranormal
The Unbecoming of Mara Dyer prendeu-me a curiosidade a partir do momento em que toda a gente andava a dizer que era de loucos e que ninguém percebia o que era realidade e o que era fantasiado pela personagem principal, e agora que a trilogia está finalizada, vou dar-lhe uma oportunidade (o mesmo se vai passar com o The Raven Boys quando o quarteto estiver concluído). Também nesta categoria se encontram o Anna Dressed in Blood, que estou um bocadinho reticente porque eu não me dou muito bem com terror. A Great and Terrible Beauty também me piscou o olhos e tem estado em espera. Não sei se vou gostar assim tanto, porque os internatos já perderam a sua piada, mas se a história for boa, prende-me de certeza. Ainda de relembrar o The Night Circus.

Adult Paranormal
Eu nem sei o que me deu, mas de repente senti falta de uma boa série paranormal de vampiros que não se centre só no amor e que não tenho volumes infindos (por isso o Dark-Hunter, o Anita Blake Vampire Hunter e afins foram cortados do mapa). Sobrou-me o Dead Until Dark. É, eu sei que odiei os dois os três episódios que tentei ver do True Blood, mas vi muita gente a dizer que a série era pior que os livros. De lembrar o The Raven, o A Discovery of Witches e que quero ainda (tentar) reatar com o House of Comarré.

YA Fantasia
Eu adoro fantasia. Em filmes. Ou séries. Em livros... É complicado. Mas toda a gente fala bem do Throne of Glass, e há muito tempo que ando à procura de uma história com uma assassina, so...

 

2 comentários

Comentar post