Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

O Êxtase de Gabriel (Gabriel's Rapture)

 

Autora: Sylvain Reynard

Edição Portuguesa: Saída de Emergência

 

Sinopse

Venha mergulhar num mundo de obsessões, segredos e prazer sem limites, acompanhando a história de dois amantes ligados por desejos obscuros... Que os podem destruir. O professor Gabriel Emerson envolveu-se numa paixão escaldante e clandestina com a sua ex-estudante, Julia Mitchell. Ao levá-la para umas férias românticas em Itália, inicia-a nos deleites sensuais do corpo e os êxtases do sexo. Mas ao regressarem, veem a sua felicidade ameaçada por uma conspiração de estudantes, pela instituição académica e por um antigo amante ciumento. Quando Gabriel for finalmente confrontado pela administração da Universidade, irá sucumbir ao destino de Dante? Ou irá lutar para manter Julia, a sua Beatriz, para sempre? Nesta brilhante sequela, O Êxtase de Gabriel, Sylvain Reynard tece uma sofisticada história de amor que irá tocar para sempre a alma, o corpo e a mente do leitor. Um livro obsessivo e viciante como As Cinquenta Sombras de Grey.

 

Opinião

NÃO NÃO NÃO! What? É inacreditável como as editoras em Portugal (ou quem quer que faz estas sinopse de m****) podem distorcer um livro tão fantástico e transformá-lo numa história vulgar e ordinária! A QUEM QUER QUE LEIA O MEU BLOG: NÃO SE DEIXEM LEVAR POR ESTA SINOPSE! Não há obsessões nem prazer sem limites, a paixão entre o Gabriel e a Julianne não foi escaldante... Não me digam nada, que ao ler esta sinopse de fidedignidade muitissimo duvidosa, começo a perceber finalmente porque é que me olham de lado quando digo que estou a adorar esta série. ESTES LIVROS NÃO SÃO NADA COMO AS CINQUENTA SOMBRAS DE GREY, NADA! Sabem quantas vezes existe esse tal 'deleite sensual do corpo' descrito? Uma vez! UMA! E não é nada de especial, comparado com o que é tido como romance erótico... De resto, o autor conseguiu maravilhosamente introduzir (salvo seja) a situação, dar o seu toque de sensualidade e deixar o leitor tirar as suas próprias conclusões, não tendo de descrever cada pormenor do que já toda a gente sabe como funciona. (como vêem, estou passada).

 




Este Êxtase começa 50 segundos após acabar o Inferno, literalmente. Achei bastante engraçado e até curioso, normalmente vê-se sempre o segundo volume de uma série a começar não sei quantos meses depois.

 

A minha leitura desta vez não foi tão entusiasmada como a primeira, por vários motivos pessoais que me fizeram desleixar e perder uma vontade de fangirl dentro de mim, no entanto, e apesar de ter gostado muito mais do primeiro livro, não posso deixar de notar mais uma vez o quão fluida e cuidada é a escrita deste autor. É como se nos levasse a um destino tão longe mas tão familiar na brisa das suas palavras! E cada vez aprendo mais sobre arte e literatura e outros erudismos da vida real... É inacreditável a pesquisa que foi feita por parte do autor.

Não me vou alongar nesta revisão, infelizmente, até porque a estou a fazer quando já estou a ler o terceiro e último livro desta trilogia (que, repito, não tem nada de erótico! - ou então sou eu que já estou a ficar mais habituada...). O fado dos dois amantes é muito previsível enquanto se segue a linha dos clichés românticos na literatura. Ainda assim, não são feitas demasiadas lamechices em torno da situação. Quando eu digo lamechice, não é chorar e tristeza e desespero, porque isso há (à fartazana!); os acontecimentos são seguidos sem o drama exagerado e completamente surreal de alguns livros.

Volto a dizer que preferi o Inferno, mas não deixo de gostar tremendamente desta sequela, onde os passados de ambos os personagens são mais explorados, onde as outras personagens que compõem esta obra se nos tornam mais familiares e queridas, onde existem finais felizes e cenas adoráveis, outras não tão adoráveis, momentos de fúria e de vontade de arrancar cabelos a uma certa pessoínha frustrada e com um final (ainda que eu ache apressado e precipitado) muito confortante para os corações mais melosos.

PS- ISTO NÃO É COMO O FIFTY SHADES PÁ!