Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Ler no Verão: Experiência e Conselhos

Apesar de ainda haver muita gente que prefere ir de férias em Setembro, o pico do Verão já lá vai. Eu sou das pessoas que, pelo menos em Agosto, está sempre de férias. E em tempo de férias... Toca a ler. Mas as coisas nem sempre correm como esperado e como só se aprende com a vida, hoje partilho a minha vasta experiência neste tópico.

 

Não às séries, trilogias e sagas

As histórias que se dividem em mais que um volume, normalmente, apresentam uma complexidade maior, que exige maior atenção por parte do leitor. As férias são a altura em que se faz tudo aquilo que que não se pode durante o resto do ano, incluindo ler muitos livros rapidamente. Um compromisso com uma história tão grande pode levar à perda de interesse e a uma avaliação diferente da que seria feita noutras condições. Assim, os standalone são sempre uma mais valia: começa e acaba a história ali; senão se gostar, não se perde mais tempo em oportunidades para ver se a história fica melhor.

 

 



Maior não é melhor

Entre praia/piscina, jantaradas, convívios e festas, não há-de sobrar muito tempo para verdadeiramente ler. Livros com 200/250 páginas lêem-se muito mais facilmente do que calhamaços de 730 páginas, e não assustam.

 

Os e-books são nossos amigos

O desejo de ler 25 livros nas férias pode tornar-se distante quando se tem de arranjar um trolley para levar a biblioteca atrás. Sim, eu sei, não há nada como ler um livro em formato físico, mas levar mais de 100 livros só em 100g... Faz pensar. E quando não existe reflexos de luz, como nos e-readers, ainda melhor. Não digo que não se leve 1 ou 2, mas andar com as prateleiras atrás é que não.

 

Mais vale só que mal acompanhado

O epítome dos desejos de um leitor é uma rede presa a duas árvores ou uma toalha no meio da terra. Mas a alegria vai toda por água a baixo quando a cada 7 minutos passa alguém a perguntar o que estamos a ler e a pedir uma sinopse. O melhor para evitar estas interrupções é estar num local não se tenha de coexistir com o resto do mundo. Não esquecer levar logo bebida e snacks atrás +ara não ter de andar toda a hora a levantar o rabiosque.

 

O que tem de ser tem muita força

Não vale a pena estar constantemente a insistir na leitura, se o que apetece é andar na tua até às 5 da manhã ou fazer maratonas de séries. E isto serve não só em férias mas também em reading slumps. Por não se ler durante um tempo não significa que o gosto pela leitura voe pela janela.

 

É claro que isto não serve de generalização: há pessoas que adoram aproveitar o tempo das férias a ler calhamaços de 1000 páginas e a transportar malas de livro pelo aeroporto. O importante é que cada um reconheça os seus padrões de leitura nesta época do ano e faça tudo para aproveitar ao máximo a sua experiência de leitura.