Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

A Court of Mist and Fury

 

Autora: Sarah J. Maas

Sem Lançamento em Portugal aquando da Revisão

 

Sinopse

Feyre survived Amarantha's clutches to return to the Spring Court--but at a steep cost. Though she now has the powers of the High Fae, her heart remains human, and it can't forget the terrible deeds she performed to save Tamlin's people.

Nor has Feyre forgotten her bargain with Rhysand, High Lord of the feared Night Court. As Feyre navigates its dark web of politics, passion, and dazzling power, a greater evil looms--and she might be key to stopping it. But only if she can harness her harrowing gifts, heal her fractured soul, and decide how she wishes to shape her future--and the future of a world cleaved in two.

 


Opinião

O meu cérebro está frito, completamente. Vou tentar por as minhas ideias em ordem, mas não sei como isto vai correr. Este livro mudou-me muito, mesmo demorando duas semanas para o ler. Os meus sentimentos estão destroçados. Cuidados com os spoilers à frente, CUIDADO SPOILERS!!

 




First things first. Vi muita gente a pôr o Tamlin de lado (procurem no tumblr Tamlin the Tool hashtag rídicula enfim...) e a acusá-lo de coisas muito graves, e não é por eu gostar do Tamlin que vou dizer isto, até porque acho que à luz dos últimos acontecimentos o Rhysand é sem dúvida um companheiro melhor para a Feyre, mas parece-me que as pessoas que se lançaram a acusá-lo de ser abusivo e de ser obsessivo-compulsivo têm uma memória selectiva demais para o meu gosto; parece que já se esqueceram de tudo o que se passou em ACoTaR, em como o Tamlin foi generoso, meigo e sempre apoiou a Feyre, MAS SOBRETUDO ESQUECERAM-SE DO QUE AMBOS PASSARAM NAS MÃOS DA AMARANTHA, e que o que eles viveram têm consequências irreversíveis para o resto das suas vidas.

É por isso que, por muito que eu odeio as figuras geométricas amorosas que a Sarah J. Maas cria, adoro os livros dela, porque ela escreve verosimilmente (nem sei se esta palavra existe, se calhar acabei de a inventar), ao contrário de outros autores que depois do grande "clímax" da história, põem os personagens a ir em direcção ao pôr-do-sol, ficando tudo e todos felizes para sempre. É claro que depois de uma situação tão extrema como a que eles viveram, as repercussões não vão ser bonitas; a Feyre esteve encarcerada numa masmorra, foi humilhada em todo o tipo de provas que passavam pela cabeça da outra maluca (supostamente justas caso a Feyre as conseguisse ultrapassar mas que não passavam de mais uma maneira a enganar e continuar o seu reinado de pesadelos) e TIROU A VIDA A INOCENTES; o Tamlin assistiu impassível à pessoa que amava passar por tudo isto, sem poder fazer nada porque podia atiçar ainda mais a ira da Amarantha e piorar a situação já nada favorável da Feyre. E o Rysand nem sempre foi tão espetacular e fabuloso, ou o facto de ele ter ido meter o nome da Claire Beddor nas mãos da Amarantha (que depois fez o que fez) pode ser completamente ignorado?

Será que já toda a gente se esqueceu disto? Será que é assim tão fácil deitar fora o desenvolvimento anterior do enredo? Será que nunca ninguém ouviu falar de stress pós-traumático?? Porque é disso que se trata, tanto a Feyre como o Tamlin estão com uma carga enorme de PTSD. Acham que eu não me revoltei ao saber que a Feyre acordava todas as noites em pânico e o Tamlin não fazia nada? Acham que eu gostei do facto de o Tamlin confirnar a Feyre em casa (literalmente)? É claro que não, mas a história também nos dá pormenores de que ele não está muito melhor que ela, e as atitudes exageradamente protectoras que ele tem só são vistas como egoístas por alguém que não têm a mínima noção do que é viver com um distúrbio mental. E sim, o Rhysand também esteve 50 anos nas mão da Amarantha e foi escravo sexual dela e tudo mais e não está assim. Não nos esqueçamos que tal como há pessoas que são mais propícias a depressões, por exemplo, há pessoas que não o são, e isso não significa que sejam mais ou menos, melhores ou piores que ninguém. Ainda bem que pelo menos uma das personagens não sofreu danos tão graves, porque pelos vistos por aquelas bandas não há aconselhamento psicológico.

Isto tudo serve para mostrar o quão descontente eu fiquei; não me interpretem mal, no final do livro só me apetecia estrangular o Tamlin, mas acho que poderia ter havido uma forma diferente da Feyre deixar o Tamlin e ficar com o Rhysand sem necessariamente tornar o Tamlin em vilão. Poderia não existir nenhuma mating bond, amor é amor e o amor entre deles é justificadissimo, o Rhys deu-lhe atenção e estava atento aos pormenores que o Tamlin simplesmente ignorava na sua descida ao inferno.O facto de a Feyre não abrir o bico também ajudou à festa, o diálogo nas relações é importante e pelos vistos ela nem sequer esteve interessada em ter um diálogo real com o Tamlin, em vez de estar só a implorar ou na cama com ele.

E por falar em cama, o Rhysand saiu-me cá um moço... Eu referi na review do ACoTaR que estava muito curiosa à cerca da personagem dele e fiquei muito satisfeita com o crescimento do personagem. Eu tenho um fraquinho imenso por vilões/bad boys que na verdade têm um lado soft e bom, mas normalmente nunca se vêem histórias de jeito, saem sempre aqueles clichés que me fazem revirar os olhos. De facto foi um dos pontos altos a autora ter apostado neste plot twist, em mostrar um Rhys que veste a máscara de vilão em vez de ser vilão, que no fundo tem muitas fraquezas, que protegia o seu povo custe o que custar e que tem uma dinâmica "famíliar" muito reconfortante - mas convenhamos, o melhor são as asas dele que têm uma grande envergadura... (wink para quem leu o livro e sabe do que eu estou a falar)

Honestamente, não é que eu seja pudica nem nada do género, e até porque pelo menos em literatura já presenciei cenas muito mais hot, mas fiquei bastante surpreendida com o vocabulário usado, não estava nada à espera, definitivamente NSFW.

 
No final de tudo, dei apenas 4 estrelas não pelo facto de ter sido Team Tamlin (god, isto parece o Twilight) no principio e agora já não, até porque para mim esta mudança que a SJM conseguiu criar é sem margem para dúvidas o ponto forte do livro, mas porque ainda sou novata nesta coisa da fantasia épica, reconheço que às vezes se torna muito complicado manter-me com a atenção que o livro merece.

Pelo tamanho desta review (que eu acho que é a maior que alguma vez escrevi), escusado será dizer que eu preciso do próximo livro (?conclusão da trilogia?) para ontem, QUE TEM DE TER PELO MENOS UMA CENA DE BEIJO ENTRE A MOR E O AZRIEL (estes dois deixaram-me tão frustrada que eu se os vir a beijarem-se já fico satisfeita) E ENTRE O LUCIEN E A ELAINE (o meu baby finalmente encontrou a mate dele *.*). E mais cenas sexys com o Rhysand.