Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

A Cidade dos Ossos (City of Bones)

 

 

Autora: Cassandra Clare

Edição Portuguesa: Planeta Manuscrito

 

Sinopse

No Pandemonium, a discoteca da moda de Nova Iorque, Clary segue um rapaz muito giro de cabelo azul até que assiste à sua morte às mãos de três jovens cobertos de estranhas tatuagens.
Desde essa noite, o seu destino une-se ao dos três Caçadores de Sombras e, sobretudo, ao de Jace, um rapaz com cara de anjo mas com tendência a agir como um idiota...

 

Opinião

Vou já exprimir a minha opinião quanto às capas desta série. É ridículo como trocaram as capas dos primeiros volumes em Portugal (quer tenha sido de propósito ou não); ou se faziam as coisas bem ou se punham capas novas. Mas neste país é tudo assim, anda tudo ao molho e nalguma coisa há-de dar... Outra coisa que me enerva solenemente nestas editoras que fazem as traduções às três pancadas é que quando vêem citações nas capas originais, correm logo a por uma citação da Stephenie Meyer na capa, para ver se vendem mais. Sinceramente, acho que isto é a coisa mais idiota de sempre. Nem tudo se resume à Stephenie, e nem todas as séries vão ser o próximo Crepúsculo. Existe individualidade, pelo amor da santa! Acalmem as hormonas...

 

 


Esta é provavelmente a saga que eu conheço à mais tempo desde que comecei a ler ebooks. Honestamente nunca me tinha chamado peculiarmente à atenção, mas depois de tantos spoilers sobre o The Mortal Instruments, decidi dar-lhe uma oportunidade.

E vou já dizer-vos que em Agosto não me vão ver sentada numa sala de cinema. Apesar de não ter achado o livro super, hiper, mega fantabulástico foi 50 mil vezes melhor do que os trailers que vi.

 

A linha de história é interessantemente diferente do que estava habituada. A Clary decidi ir com o amiguinho dela a uma discoteca e lá assiste a uma assassinato que pelos vistos só ela é que consegue ver. E a partir daí ela começa a tomar conhecimento de que o passado dela esconde muitos mistérios relacionados com o grupinho que estava a esfolar o rapazito na discoteca.

 

Isto dito assim até parece que aquilo é só rufias. E para quem não chega lá pelos nomes, Caçadores de Sombras são caçadores de demónios e não de vampiros, lobisomens e fadas, que esses vivem ao lado deles, apesar de também não se gostarem muito uns dos outros. Mas não se deixem enganar ao pensar que o livro é so eles a matar coisas com formas estranhas. Aliás, isso é só um quarto da história, porque o resto é a Clary a descobrir que lhe mentiram a vida toda.

 

Achei que a construção da história está muito bem feita. Mais uma vez quando as histórias não deixam brechas para que se preveja o que vem a seguir é sempre mais satisfatório (ok, houve uma ou outra altura que eu disse 'isto estava-se mesmo a ver', mas na maioria fiquei sempre surpreendida).

 

Para variar um bocadinho no estilo aventura, há ali um romance à mistura entre a Clary e o Jace. O que é que eu posso dizer sobre o Jace...? É um bocado parvo ao inicio, não gostei nada dele: convencido (ui! convencido é favor...), sempre com uma piada sem graça para fazer, um comentáriozinho irónico. Só me apetecia abaná-lo. Mas depois lá comecei a gostar dele... A Cassandra deve fazer isto de propósito, fazer-nos gostar do personagem gradualmente, mostrar que ele tem fragilidades e lá no fundo é um coração de ouro (omg a história do falcão...), FAZÊ-LO BEIJAR A CLARY, e depois descobre-se uma coisa daquelas! Confesso que já sabia parte do final, e por momentos até temi perder o interesse, porque também já sabia que aquilo era uma situação que depois se prova que não é real (sim, eles não são mesmo #$@&§£) - nem acredito que vou ter de aturá-los separados por mais dois livros -, mas a história está mesmo muito bem pensada. Quer dizer, não é todas as vezes que temos o privilégio de ler uma história em que o Inimigo quer basicamente dominar o mundo que nem o Hitler e que está bem escrita, com detalhes que fazem sentido e com sequência temporal devidamente explicada, sem parecer que ocorreu tudo do dia para a noite só porque sim.

 

As personagens secundárias não me pareceram assim tão secundárias, mas é claro que o foco principal esteve no Jace e na Clary. Estou desejosa para ver agora mais do Alec e da Isabelle, gostei deles. Aliás este livro trouxe-me uma coisa que nunca me tinha acontecido antes, porque normalmente eu nunca me engano quanto à personalidade das personagens: as personagens que eu odiei ao inicio, e algumas a meio, passei a gostar delas, e a personagem que eu adorava tanto revelou-se! No geral, apesar da escrita não ser das minhas favoritas, achei que foi um livro jeitosinho. Tenho a dizer que a minha personagem favorita é o Presidente Miau (sim, o gato do Magnus Bane que apareceu uma vez, para aí...). Aposto que se ele pudesse, tinha vindo a correr contar-me isto (QUE NÃO SEI PORQUÊ NÃO FAZ PARTE DOS LIVROS!!! MAS QUEM É QUE NÃO PÕE O PRIMEIRO BEIJO DE UM CASAL DESCRITO NOS LIVROS????)