Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Crescendo (Crescendo)

 

 

Autora: Becca Fitzpatrick

Edição Portuguesa: Porto Editora

 

Sinopse

A vida de Nora Grey continua longe de ser perfeita. Sobreviver a um ataque que podia ter-lhe custado a vida não foi fácil, mas tudo se resolveu, graças ao seu anjo da guarda - uma criatura misteriosa, sedutora e bela.
Mas Patch tem sido tudo menos angelical. Está mais distante do que nunca e parece estar a passar demasiado tempo com a arqui-inimiga de Nora, Marcie Millar. E, como se isso não bastasse, Nora é assombrada por recordações do seu pai assassinado, começando a pensar que as intrigas dos anjos poderão estar relacionadas com a morte dele.
Desesperada por desvendar os estranhos acontecimentos do seu passado, Nora expõe-se ao perigo, na esperança de encontrar algumas respostas.
Mas todos sabemos que há perguntas que nunca devem ser feitas... 

 

 

Opinião

PATCH! Omg eu amo este homem... Mas neste livro, rapaz, é melhor fugires antes que eu te mate!

 

Isto começa logo tudo muita bem, a Nora e o Patch acabam logo nas primeiras 20 páginas que serve logo de abre olhos para os leitores. E depois é toda uma depressão pós-namoro acabado que é uma alegria. E quem pensa que a culpa é do meu Patch, está muito enganado. A Nora é definitivamente a culpada no final desta relação que tinha tanto para oferecer (ou melhor, o Patch tinha tanto para oferecer, tanto para dar...). No inicio ainda chamei uns nomes feios à miúda, porque como é que ela com uma rapazito daqueles se decide armar em parva? Quer dizer, só mesmo a Nora Grey... (mas ela tinha razões, coitadinha, aquela Marcie Millar... AGGRRRR WHORE!)

 

 


E no meio disto tudo aparece um rapazito novo, que é o Scott, e que é daquele tipo de gajos que só apetece mandar contra a parede para ver se o cérebro deles recebe algum oxigénio através da fissura craniana. E CLAROOOOOOO a Nora, apesar de o achar um tanto idiota, começa a andar mais com ele (típico triangulo amoroso) e ele depois até se mostra ser menos parvo que o que eu pensava.

 

Entre as novas personagens, existe também outro menino (salvo seja) que é o Rixon. O Rixon é amigo do Patch. O Rixon é sexy. O Rixon é um anjo caído. O Rixon começa a andar com a Vee. O Rixon é um cocó. Eu a pensar, que o Rixon era fofo e afinal andou a enganar o melhor amigo... Nhanha. O Rixon é dos meus personagens favoritos de todos os livros da série, simplesmente amei a construção deste rapazito irlandês. E paralelamente à relação Nora/Patch (ou melhor dizendo, à não relação), é das personagens mais importantes deste livro, levando a que o final seja mesmo MESMO MESMO surpreendente (eu que normalmente faço logo milhentas teorias da conspiração, nunca teria adivinhado isto).

 

Como se eu já não achasse o Patch fantabulástico, neste livro ele mostra mais uma capacidade sexy: ele consegue entrar nos sonhos das pessoas para falar com elas (eg: da Nora). Só que quando após o meu QUERIDO Rixon ter contado umas coisinhas à Nora sobre o passado do Patchie, aquilo começa a ser agreste (mesmo com os sonhos lindos e fantásticos e com muitos momentos sexy). Adicionando a sempre amigável presença da Marcie semi-nua em redor dele e aquilo é uma Casa dos Segredos. Porque sim, quando nós pensamos que não pode ficar pior, quando já não há mais nenhum mistério por descobrir, BIBIDI BÓBIDI BUU, eles aparecem.

 

Devo confessar que no inicio do livro, logo após se ter dado o drama inicial da relação, pensei que ia odiar este livro. E durante grande parte da leitura só tive vontade de esganar alguém. A história está muitíssimo bem escrita, existe grande diversidade de cenas com vários personagens, onde todas contribuem para o desenvolvimento da trama final. Par quem se preocupa em revelação antes do tempo, eu não notei pontas soltas nenhumas que dessem azo a possível especulação, andamos sempre 'mas como é que isto encaixa naquilo? isto não faz sentido... será que...?', e no final, resolve-se todo um puzzle cujas peças encaixam perfeitamente, mas que no final tem uma imagem surrealista (que é o mistério do próximo livro).

 

E fim, espero que estejam a divertir-se com as vossas leituras. Agora fiquem com o Patch e a Nora na motinha do fofo: