Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

As Cinquenta Sombras Mais Negras (Fifty Shades Darker)

 

 

Autora: E.L. James

Edição Portugusa: Lua de Papel

 

Sinopse

Perseguida pelos negros segredos que atormentam Christian Grey, Anastasia Steele separa-se dele, e começa uma carreira numa prestigiada editora de Seattle. Mas por mais que tente, Anastasia não o consegue esquecer – ele continua a dominar-lhe todos os p ensamentos. E quando Christian lhe propõe reatarem a relação com um novo e diferente acordo, ela não consegue resistir.
Aos poucos, uma a uma, começam a revelar-se as Cinquenta Sombras que torturam o seu autoritário e dominador amante. Enquanto Grey se debate com os seus demónios, e revela a Anastasia um lado inesperadamente romântico, ela vê-se obrigada a tomar a mais importante decisão da sua vida.Uma escolha que só ela pode fazer…

 

Opinião

Ok. Vou pensar numa maneira simpática de fazer esta revisão. A sério. Estou a pensar com muito esforço. Mas... Isto não está a dar...

Normalmente, quando eu falo da série 50 shades, digo sempre que é a maior nhanha que alguma vez foi escrita na história da literatura. Sabem porquê? Por causa de metade desta livro (metade? vá, três quartos...). Já tive muita gente a vir ter comigo e a perguntar se eu tinha lido as 50 sombras e se tinha gostado e tal tal... E na verdade, embora eu até queira admitir que não desgostei completamente, não posso afirmar que gostei. Quer dizer, tirando toda a panóplia de posições e situações sexuais que não cabem na cabeça de ninguém, na impropriedade de certas cenas e nos pensamentos mais que oh so fucked up, o livro até se lê. Só que a maioria deste livro é um jogo de gato e rato em que uma foge, o outro vai à procura, e o rato volta a meter-se nas garras do felino. Que é uma coisa que TOOODDDAAASSS as pessoas que fugiram de umas palmadas no rabinho mas que se humilharam num quarto vermelho fazem.

 


 

Eu juro que não percebo a histeria em volta desta história. Juro mesmo. E é que isto deu origem a toda uma onda de publicações de fanfiction do Twilight que são do mesmo género (para quem leu a The University of Edward Masen: Gabriel's Inferno, ou então Bared to You) e que ultimamente andam nas bocas do mundo como se o antes falado e olhado de lado sadomasoquismo agora fosse o céu na terra.

 

Supostamente as cenas que são escaldantes, a mim só e fizeram ficar mal disposta. É que isto não são fantasias realizadas entre dois amantes (e nem venham com coisas, porque não existiu nenhum desenvolvimento sentimental entre eles os dois, foi só eu tu ali agora), eles são basicamente dois estranhos, mesmo depois de tudo o que se passou no livro anterior. Aliás, no ultimo livro, eu tive sempre a sensação que ela estava à espera de um romance de novela, mesmo depois dele a avisar que só queria chicotes e floggers.

 

Das muitas coisas 'cenas tórridas' descritas até ao mais ínfimo pormenor, a que me deu mais vómitos (e até agora eu estava a gozar, mas de facto neste cena eu parei de ler, porque de facto não foi a coisa mais linda de se ler) foi algures no quarto vermelho, onde ela estava algemada à cama (e até aí tudo bem, eu não sou assim tão pudica) e eles estavam a... a... coise... e de repente ele puxa-a (ainda mais) e ela fica suspensa, sem qualquer tipo de apoio à cama a não ser as algemas, com ele a... continuar o acto sexual. E a reacção dela foi como se o maior, melhor orgasmo do mundo estivesse ali a acontecer.

 

Honestamente, eu só comecei a gostar do livro (e foi a partir daí que a vontade de ler finalmente se apoderou) quando o tal desenvolvimento sentimental tomou lugar na história e começou a existir outra sequencia de acontecimentos para lá do quarto vermelho da dor. Quando começou a perceber-se a dinâmica entre o Christian e a Elena (e quando a mãe do Christian descobriu tudo e deu uma estalada na Elena em plena festa de aniversário do dito cujo! Ah! Foi a cena do livro!), e como tudo começou... Isso já valeu a pena ler. O que não valeu a pena ler foram as constantes cenas de ciúmes tanto da Anastasia como da Elena, tal e qual duas gatas assanhadas durante o cio.

 

Eu realmente não compreendo como é que existem mulheres que acharam esta série 'excitante', porque... eu não achei. É que até havia potencial, vá, ele era bilionário e todo jeitoso e sabia jogar com as palavras e era sedutor (e predador), mas depois era tudo 'eu mando, tu obedeces' e eu cá sou daquelas que acredita que as mulheres devem ter um papel activo nas relações que têm, ao contrário de serem submissas e dizerem que sim a tudo e para elas está tudo bem. Devo dizer que uma das vantagens de ter lido este livro é que fiquei a conhecer toda uma gama de 'brinquedos sexuais' que eu nem sequer imaginava que era possível existir. E quando eu tinha dificuldades em inaginar, a E. L. James decidiu que devia lançar uma gama real de produtos (neste artigo de um fansite do 50 Shades, carreguem na hiperligação que diz 'Fifty Shades of Grey' após o inicio do artigo e deliciem-se ou não com a descoberta de toda uma gama de brinquedos tudo menos recomendados a menores de 18 anos) só para que eu pudesse ter um visual mais nítido nos meus pesadelos xD.

 

E pronto, o resto deixo-vos a vocês. Boas leituras :D