Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

'não gosto de ler'

Para um leitor, esta é a pior frase que alguém pode dizer. A impossibilidade de alguém não se fascinar com a dimensão que a imaginação pode tomar, de construir um universo fictício e se deixar envolver pelo fascínio que os personagens nos oferecem deixa qualquer amante de livros de cabelos em pé.

 

Vou apresentar-vos então algumas das justificações que já se me atravessaram os caminho e às quais eu virei as costas para não partir para a agressão física (e depois vou opinar sobre estas situações.)

 

'NÃO GOSTO DE LER...

... porque me aborreço': é sempre difícil começar um novo livro, isso ninguém pode negar; pode tornar-se chato iniciar o processo de imaginação quando a escrita do autor também não ajuda é por isso que se devem começar a ler livros quando se tem imenso tempo pela frente. Não é em 15 minutos que se vai pegar num livro e criar logo empatia com os personagens e a história. É também de extrema importância pesquisar um pouquinho sobre o livro que se vai ler e pelo menos ler a sinopse; existe muita gente que abomina as sinopses com receio de spoilers, mas a pergunta fica: como é que tens noção se vais ou não perder o teu tempo se não sabes do que é que o livro trata?
Muita gente que afirma não gostar de ler (ou que é obrigado a tal) chega à prateleira, gosta do título ou da capa (às vezes nem isso acontece) e acha que é aquele que vai ser o livro da vida. O leitor tem de se interessar minimamente pelo assunto que está a ler, independentemente do tipo de literatura. 'Ler' não significa só a disposição para assuntos chatos e enfadonhos. Eu, por exemplo, apesar de gostar de um clássico de vez em quando, gosto mesmo é dos livros que me fazem alhear da realidade e esquecer o mundo existente. Existe muita gente a achar que o género 'fantástico' é para meninos de 13 anos ou criancinhas, mas enganam-se! Game of Thrones, O Senhor dos Anéis... é tudo fantasia! Se alguém tem receio de se aborrecer com um livro de fantasia por acharem infantil de mais, experimentar Fantasia Épica não faz mal a ninguém. É preciso diferenciar os autores e o público alvo e integrarmo-nos num grupo a que um certo tipo de livros seja dirigido, porque só assim é que se vai aumentar a probabilidade de acertar num livro (se bem que não existem idades limite para nenhum livro).

 





... porque demoro muito tempo e há coisas mais interessantes para fazer': o facto de uma pessoa gostar de ler não significa que não faça mais nada da vida. Há tempo para tudo, o que é necessário é saber geri-lo. Todos estereotipam que só os chamados 'bookworms' ou 'nerds' é que gostam de livros, porque mais ninguém os quer sem ser objectos inanimados. Estão todos erradas, nós 'bookworms' é que escolhemos uma companhia tão melhor, que não julga ninguém e que está lá para todas as horas. Quem já tem em si o bichinho dos livros, prefere o quentinho da manta do sofá à companhia de gente falsa e totalmente desinteressante, mas os iniciantes não possuem esta experiência, e por isso não sabem mexer-se. Se for o vosso caso serem os noobs do sitio, tentem ler em momentos de tédio, naquelas alturas em que não há mesmo nada para fazer. E é claro que não podem pegar logo num livro maçudo, se não o João Pestana chega rápido. Recomendo livros cómicos, como o O Diário de um Banana, Diário de um Vampiro Banana ou o Bossypants.

... um determinado género, só leio X': então fuck you bitches! Ninguém te obriga a ler o que tu não gostas, escusas de estar a armar-te em intelectual.
As pessoas têm de perder esta mania de quererem parece uma coisa que não são e começarem a meter na cabecinha que têm de ler por gosto e não pelas aparências. Se uma pessoa só gosta de ler clássicos, que seja pela diferença de perspectivas, pela beleza do modo de vida de outras épocas e não porque é muito chique dizer que 'só leio clássicos e bestsellers'. Para informação dos menos atentos, o Twilight foi bestseller do New York Times, tal como o The Hunger Games, o The Fault in Our Stars e tantos outros. A palavra 'bestseller' não significa muita classe e maturidade, significa (tal como o nome indica) que vende bem.
Não gostam de romance histórico? Ninguém vos obriga a ler! Parem é de reclamar e criticar algo que vocês não gostam ou que nem sequer experimentaram! Um género literário não é como uma comida, que se sabe logo pelo cheiro se se vai gostar ou não.

... se gasta muito dinheiro': este é o tópico em que eu posso ceder. Os preços em Portugal são exorbitantemente altos. Mas existem sempre outras opções: existem alminhas abençoadas com o dom da partilha que não se importam de emprestar livros, os ebooks são mais baratos, para quem facilidade no inglês, o Amazon tem uma secção que se chama 'Bargain Books' onde todos os dias há livros quase ao preço da chuva, existem milhentos site e blogs e grupos no Facebook de venda e troca de livros. Fica tudo muito mais económico!


Como vêem, o que não falta são soluções para os problemas alheios. Agora é só porem os vossos a sentir o prazer da leitura.

4 comentários

Comentar post