Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

TBR de Dezembro, filmes em época natalícia e outros desenvolvimentos

Isto é que tem sido uma agitação neste blog, hein? *cough* Bem, eu sei que não tenho postado muito, mas verdade seja dita, não tenho tido paciência (e sobretudo inspiração) para postar coisas novas, por isso tenho-me cingido às revisões.

Para começar, podem ver que na barra lateral a parte das listas desapareceu e surgiram quatro novos links na área das redes sociais. Eu não sou super OCD, mas gosto de me organizar, e tinha as listas criadas aqui no blog que já estavam sempre desactualizadas e eram muito mais complicadas de organizar. Assim cada coisa está no seu sitio, se tiverem curiosidade de saber o que é que eu ando a ver/ler dêem um saltinho a esses sites.

 

First things first: leituras. Eu tenho andado meio adormecida e honestamente não estou com muitas esperanças de ler muito neste mês. Quero acabar de ler o livro que estou a ler e ver se começo o The Night Circus, que adiei vezes infindas para poder ler no Natal (sei lá bem porquê, não acho que tenha alguma coisa a ver com o Natal). Pode ser que ainda dê um salto ao livro de contos do ano passado e leia alguns dos que não li.

Se alguém acompanhava aquelas listas que eu tinha aqui no blog, provavelmente viram que  de Mangas/Manhwas andava a ler The Bride of the Water God e depois comecei a ler ao mesmo tempo Midnight Secretary. Neste momento, pus o MS de lado; só li o primeiro volume e apesar de gostar um bocadinho, achei que naqueles cinco capítulos a história desenvolveu-se way too fast e sem razão nenhuma: sim, eu sei que a premissa diz que é um caso de secretária-patrão e ele é vampiro e ela é a super-secretária, mas será assim tão difícil diminuir o cliché das coisas? É que eu gosto de clichés, mas quando ela do nada se apaixona só porque lhe deu sangue duas vezes... Meh, não é o tipo de clichés para mim, gosto de ver o enredo bem desenvolvido. Vou sim concentrar-me no BotWG, que tem um desenho LINDÍSSIMO, cheio de pormenores magnificamente desenhados (só imagino a paciência que a autora deve ter).

 

Crazy Rich Asians

 

Autora: Kevin Kwan

Sem Lançamento em Portugal aquando da Revisão

 

Sinopse

Crazy Rich Asians is the outrageously funny debut novel about three super-rich, pedigreed Chinese families and the gossip, backbiting, and scheming that occurs when the heir to one of the most massive fortunes in Asia brings home his ABC (American-born Chinese) girlfriend to the wedding of the season.
When Rachel Chu agrees to spend the summer in Singapore with her boyfriend, Nicholas Young, she envisions a humble family home, long drives to explore the island, and quality time with the man she might one day marry. What she doesn't know is that Nick's family home happens to look like a palace, that she'll ride in more private planes than cars, and that with one of Asia's most eligible bachelors on her arm, Rachel might as well have a target on her back. Initiated into a world of dynastic splendor beyond imagination, Rachel meets Astrid, the It Girl of Singapore society; Eddie, whose family practically lives in the pages of the Hong Kong socialite magazines; and Eleanor, Nick's formidable mother, a woman who has very strong feelings about who her son should--and should not--marry. Uproarious, addictive, and filled with jaw-dropping opulence, Crazy Rich Asians is an insider's look at the Asian JetSet; a perfect depiction of the clash between old money and new money; between Overseas Chinese and Mainland Chinese; and a fabulous novel about what it means to be young, in love, and gloriously, crazily rich.
.

 

Opinião

Este livro conseguiu a proeza de me fazer sair de uma semi-ressaca literária. Só por isso, já valia muito, mas o facto de ser bom é ainda melhor. O que me apraz dizer é que é uma espécie de Keeping Up With The Kardashians da Ásia, mas infinitamente melhor e com muito mais dinheiro envolvido.

 

Pág. 2/2