Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

A Possessão (Possession)

 

Autora: Jennifer Armintrout

Edição Portuguesa: Gailivro

 

Sinopse

O meu pai sempre me disse que o medo é uma fraqueza. Ora, isso é fácil de dizer quando não temos de nos preocupar com caçadores de vampiros e água benta. Detesto o medo, mas a vida, ou melhor, a morte continua.Nos dois meses que passaram desde que fui atacada, na morgue do hospital, e transformada em vampiro, já matei o meu amo malévolo, Cyrus, apaixonei-me pelo meu novo amo, Nathan, e até me acostumei a beber sangue. E quando as coisas estavam a regressar ao normal - o mais normal possível quando a luz do sol nos pode matar - Nathan é possuído. E massacra um humano inocente. Agora tenho de encontrar Nathan antes que o Movimento Voluntário para a Extinção dos Vampiros o localize, porque estão apenas à espera de uma desculpa para o matar - a ele e a qualquer outro que seja suficientemente parvo para o ajudar. Mas isso não é o pior. Nathan está possuído pelo espírito de um dos vampiros mais malévolos de sempre, O Devorador De Almas. E quem pode imaginar quais serão os seus planos? Com o devorador de Almas e o meu amo possuído à solta, sinto muito medo, incluindo ser morta, outra vez.


Opinião

Demorei séculos a ler este livro. E até poderia culpar esta semi-slump no excesso de trabalho e na conclusão da licenciatura (que não é mentira, eu estive de facto muito ocupada e só me apetecia era consumir entretenimento fácil, tipo séries e dramas), mas a verdade é que logo nos primeiros capítulos vi que não ia gostar tanto deste livro como do anterior.

 

[REPOST] Unpopular Book Opinion TAG

NOTA: na altura em que eu postei esta tag, vi-a num post do tumblr sem qualquer crédito. Mal sabia eu que iria haver, umas semanas depois, montes de pessoas a fazer a tag. Assim, o original fica neste vídeo e vocês voltam a ler as minhas respostas xD

 

1. A Popular Book or series that you didn’t like:

O My Life Next Door, que toda a gente adora e que eu não gostei mesmo nada.

 

2. A Popular Book or series that every one else seems to hate but you love:

A Trilogia de Gabriel, que eu sinto que muita gente não leu porque pensa que é igual ao 50 Shades, MAS NÃO É!

 

3. A Love Triangle where the main character ended up with the person you did NOT want them to end up with (warn ppl for spoilers) OR an OTP that you don’t like:

se é OTP eu presumo que seja canon, mas não tenho nenhuma que não goste...

 

Back to School Book TAG

Bem, eu propriamente já não volto à escola (yay, licenciada, agora desemprego!), mas setembro é aquele mês em que anda tudo aos saltos porque volta tudo a estudar. Vi este tag no canal BooksandLala, toda a gente está tagueada.

 

English - Name your favorite author's (or books) writing style.

Mas isto nem se pergunta... Rainbow Rowell.


Math - A book that made you frustrated!

Os da série Lux, que toda a gente adorava e eu continuo a não perceber o porquê, aquilo é horrível.


Science - A book that really made you think or question things.

Hummmmmm...  O The Perks of Being a Wallflower, que eu li na altura exacta e que me abriu um horizonte enorme que eu antes negava.

 

Ler no Verão: Experiência e Conselhos

Apesar de ainda haver muita gente que prefere ir de férias em Setembro, o pico do Verão já lá vai. Eu sou das pessoas que, pelo menos em Agosto, está sempre de férias. E em tempo de férias... Toca a ler. Mas as coisas nem sempre correm como esperado e como só se aprende com a vida, hoje partilho a minha vasta experiência neste tópico.

 

Não às séries, trilogias e sagas

As histórias que se dividem em mais que um volume, normalmente, apresentam uma complexidade maior, que exige maior atenção por parte do leitor. As férias são a altura em que se faz tudo aquilo que que não se pode durante o resto do ano, incluindo ler muitos livros rapidamente. Um compromisso com uma história tão grande pode levar à perda de interesse e a uma avaliação diferente da que seria feita noutras condições. Assim, os standalone são sempre uma mais valia: começa e acaba a história ali; senão se gostar, não se perde mais tempo em oportunidades para ver se a história fica melhor.

 

 

 

Pág. 2/2