Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Na Sombra da Noite (Dark Lover)

 

 

Autora: J. R. Ward

Edição Portuguesa: Casa das Letras

 

Sinopse

Seis guerreiros vampiros, amantes perigosos e irmãos de sangue vêm até si neste livro verdadeiramente poderoso. Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual - seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos do que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra… Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado - deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino - Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos... Transtornada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fome crescente que ameaça consumir ambos...

 

 

Opinião

Ora bem, eu comecei a ler a Irmandade da Adaga Negra nem sei muito bem porquê. Já conhecia os livros de outras andanças mas nunca lhe dei muita atenção, até porque as capas portuguesas são horriveis, e os olhos também comem (mas lá fora dizem que as nossas capas são fantásticas...). Este ano voltaram a saltitar à minha frente, especialmente nas estantes do quarto da minha madrinha académica. E como eu não tinha nada para ler depois da saga Hush Hush, ela aí foi (estive para ler o Dark Hunter, mas aquilo são tantos livros que até me deu uma coisinha o.O).

Voltando ao principal. Este é o primeiro livro da saga, blá blá blá, whiskas saquetas. Para mim, o primeiro impacto foi que isto era um género de The Lost Boys encontra o Extreminador Implacável. É só vampiros que parecem gigantes, cheios de músculos e caras de mau, a andar pelas ruas de Caldwell de punhal na mão (punhal, não, adaga!) a matar gente que é verdadeiramente má e que só por acaso até já estão mortos e têm sangue preto a circular nas veias.

O livro começa de uma maneira um bocado para o tola. O Darius (que apesar de ir morrer já a seguir, tem um papel fundamental ao longo da série toda) andou a enrolar-se com uma humana há uns vinte e tal anos, que por acaso até era quem ele amava, e agora a filha que eles tiveram (que nunca soube quem foram os pais e está sozinha e abandonada no mundo, só com o seu trabalho miserável de jornalista como auge pessoal - cliché anyone?) está para se tornar vampira. Sim, porque neste universo, não há cá mordidas no pescoço e passas tu a morder também. Tu ou nasces com a banda certa no loci certo no braço certo do cromossoma certo ou então podes fazer rituais satânicos à vontade que nunca terás presas nem serás imortal.  Adiante, ela está para sofrer a transformação, mas como aquilo é de uma dimensão de sofrimento tão grande, ela pode ir para ao jardim das tabuletas sem nunca ter tidos os caninos mais afiados, a não ser que tenha uma ajuda tão poderosa (e por ajuda quero dizer sangue) que esteja com ela no momento em que a transformação surja e que a permita passar por aquilo sã e salva. E eis que ele vai pedir ao rei dos vampiros para ser ele o doador de liquido vermelho, mas recebe um rotundo não! (porque o Wrath é que manda!). Triste da vida, ele sai da discoteca (sim, nada melhor do que pedir ao teu rei/amigo de guerra que te salve a filha no meio de milhentas pessoas a soar e a fumar e a drogar-se e a fazer sabe-se lá mais o quê), entra no carro e puff! fez-se o chocapic, forte em chocolate!

 

funcionamento geral

Ora bem, este blog funcionaria muitíssimo bem se eu não tivesse mais nada na vida para fazer. Entre a faculdade e episódios da vida pessoal, quase mal me sobra tempo para ler, quanto mais para gerir um blog. Mas como quem corre por gosto não cansa, e tentar não custa, cá estou eu a enverredar mais uma vez pelas plataformas digitais. Este blog surgiu-me porque apesar de existirem milhentos blogs portugueses que fazem opiniões sobre livros, nunca vi nenhum (atenção, não estou a dizer que não existem) em que escrevessem de facto o que se passa na história toda, não apenas o inicio e a conclusão. Já para não falar nos clichés habituais que se encontram por aí, como por exemplo 'apesar dos obstáculos postos nos caminhos das personagens, o amor vence e é isso que faz este livro fantástico'. Por favor... Quando eu procuro uma opinião sobre um livro não quero saber se eles ficam mesmo juntos no final (até quero, mas...), eu quero saber sobre o resto do livro, o que é que acontece entretanto, as partes engraçadas que de facto fazem valer a pena a leitura do livro, não quero frases feitas. Para isso ia aos sites das editoras e limitava-me a ler as sinopses.

Eu estou para aqui a falar, mas secalhar depois de lerem as minhas revisões vão achar que aqui não se encontra nada de diferente dos outros blogs. Mesmo assim, vou tentar, também por mim.

Adiante, que isto não me leva a lado nenhum. Normalmente eu demoro entre 4/5 dias a uma semana/semana e meia a ler um livro, dependendo do meu tempo disponível e se o livro de facto me prendeu o suficiente para o ler non stop. Agora no inicio do blog (Janeiro de 2013) as revisões vão ser mais frequentes, porque são de livros que eu já li (maioritariamente os de 2012, que me surpreenderam porque nunca anteriormente tinha lido 22 livros durante um ano - especialmente porque foi o meu primeiro ano de faculdade, por isso o tempo não abundava assim tanto), mas depois irão ser de maior ou menos uma por semana (que é o tempo que eu levo a ler).

Como já devem ter reparado, eu gosto de divagar, e é isso que faz com que eu goste de ter blogs, porque eu falo que me desunho e gosto que alguém fale comigo, como se fosse uma conversa entre duas pessoas frente a frente e não um diário escrito por um robot.

Apesar de este ser um blog de revisão, é claro que eu quero descobrir novos livros e partilhá-los convosco, mas também não vou fazer um post com a capa e a sinopse só porque o encontrei; ocasionalmente irei publicar o post para discussão entre nós.

Mais coisas... Ah, classificações! Eu não gosto nada de por estrelinhas nem fazer escalas (para isso tenho o goodreads), vou apenas expressar a minha opinião, e acho que é consensual que quando uma pessoa lê uma opinião de um livro em que diz que foi horrível lê-lo é porque não lhe dava 5 estrelas. Há imensos aspectos que tornam um livro bom e que se o final for uma nha-nha descem a classificação que cada um dá ao seu livro. E mais, o facto de uma pessoa achar x de um livro não quer dizer que outra não ache y.

Enfim, de um modo geral espero que gostem da estadia, não tenham medo de comentar (nem que seja só para dizer 'eu também li e acho o mesmo') que eu não terei medo de responder. : )

 

 

post inicial

Este blog nasceu da necessidade de obter um sitio onde se fizessem opiniões sobre vários livros de forma não tão formal como em outras plataformas da internet. Aqui são escritas as minhas opiniões, muitas vezes contendo alguns spoilers, de forma leve, despreocupada e divertida, caracteristica da leitora de dezanove anos por trás do teclado. Sem tabus nem 'politicamente correctos', espero que se divirtam enquanto seguem este blog e que através dele conheçam novos livros, afinal é esse o objectivo principal. Para quem ainda não está habituado ao meu tipo de escrita, podem visitar o Twilight Chronics e ter uma perspectiva do quão simples e descontraída é a minha escrita.

Pág. 2/2