Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

Na Sombra do Pecado (Lover Awakened)

 

 

Autora: J. R. Ward

Edição Portuguesa: Casa das Letras

 

Sinopse

Seis guerreiros vampiros, amantes perigosos e irmãos de sangue vêm até si nesta colecção verdadeiramente poderosa.

Este é o terceiro livro da saga da Irmandade da Adaga Negra. Seis guerreiros vampiros, amantes perigosos e irmãos de sangue vêm novamente até si nesta colecção verdadeiramente poderosa. De todos eles, Zsadist é o membro mais aterrorizador da Irmandade da Adaga Negra. Um antigo escravo de sangue que ainda carrega as cicatrizes de um passado cheio de sofrimento e humilhação até ao dia em que salva uma bela fêmea da maldade da Sociedade dos Minguantes. Bella vai ajudá-lo a ultrapassar as feridas do passado tortuoso e a encontrar um futuro ao lado dela…

 

Opinião

Mais um volume (3º) da colecção Irmandade da Adaga Negra. Devo dizer que este é o meu livro preferido até agora (tendo em conta que neste momento estou a ler o oitavo livro) e que só soube que era o da maioria das fãs desta saga tipo... à dois minutos, portanto é sinal que tenho bom gosto. Apesar de ser uma história individualizada, como é habitual nestes livros, é também a continuação do pequeno episódio entre a Bella e o Zsadist que se passou durante o Lover Eternal (depois do corte ponho um fan-art que é tal e qual o modo como eu imaginei a cena). Existe de novo a injecção de personagens e histórias passadas que condicionam o presente: a Bella, que embora ainda fazendo parte da glymera (não digo que seja um jet7, mas é o género de classe social que está no topo da pirâmide), não é propriamente o Victoria Grayson dos vampiros porque no passado fez escolhas que para a gentinha fina não eram muito decentes e que mais tarde a fizeram ter de lidar com as consequências, e o Zsadist, que trás com ele uma bagagem mais pesada que todos os elefantes existentes em África.

Nos livros anteriores, o Zsadist era apontado como o membro mais terrível, mais aterrador, mais implacável de todos os Irmãos, que metia medo à Morte e fazia o Papão meter-se no saco. Honestamente, cheguei a pensar que toda esta descrição depois iria dar numa grande chachada e que quando a história se desenrolasse ele afinal não seria assim tão mau e do pé para a mão iria encontrar o amor e seria magnificamente curado de todos os traumas que andavam naquela linda cabecinha com um corte de cabelo a pente 0. Mas o que me faz amar a J. R. Ward é que ela me troca sempre as voltas, e que conseguiu mesmo construir uma personagem que faz o público sentir vontade de fugir o mais rápido possível.

 

Trilogia Os Jogos da Fome (The Hunger Games Trilogy)

 

 

Autora: Suzanne Collins

Edição Portuguesa: Editorial Presença

 

Sinopse

Os Jogos de Fome

Num futuro pós-apocalíptico, surge das cinzas do que foi a América do Norte Panem, uma nova nação governada por um regime totalitário que a partir da megalópole, Capitol, governa os doze Distritos com mão de ferro. Todos os Distritos estão obrigados a enviar anualmente dois adolescentes para participar nos Jogos da Fome - um espectáculo sangrento de combates mortais cujo lema é «matar ou morrer». No final, apenas um destes jovens escapará com vida…
Katniss Everdeen é uma adolescente de dezasseis anos que se oferece para substituir a irmã mais nova nos Jogos, um acto de extrema coragem… Conseguirá Katniss conservar a sua vida e a sua humanidade?

Um enredo surpreendente e personagens inesquecíveis elevam este romance de estreia da trilogia «Os Jogos da Fome» às mais altas esferas da ficção científica.

 

Em Chamas

Pela primeira vez na história dos Jogos da Fome dois tributos conseguiram sair da arena com vida. Mas o que para Katniss e Peeta não passou de uma estratégia desesperada para não terem de escolher entre matar ou morrer, para os espectadores de todos os distritos foi um acto de desafio ao poder opressivo do Capitólio. Agora, Katniss e Peeta tornaram-se os rostos de uma rebelião que nunca esteve nos seus planos. E o Capitólio não olhará a meios para se vingar…

 

A Revolta

Contra todas as previsões, Katniss Everdeen conseguiu sobreviver aos Jogos da Fome por duas vezes. Mas mesmo tendo conseguido escapar viva da sangrenta arena, ainda não está a salvo. O Capitólio está cheio de raiva. O Capitólio quer vingança.

 

Opinião

Eu decidi fazer esta opinião em pack compresso, porque já faz algum tempo que li os livros e há-de haver muitos pormenores que me vão escapar... Mais uma vez (e como acontece com grande parte das saga que eu li) eu só tomei conhecimento da existência dos Jogos de Fome porque na altura estava prevista a estreia do filme, e andava tudo num alvoroço porque o The Hunger Games isto, o The Hunger Games aquilo, e Distrito 12 assim, e 'I Volunteer as a Tribute!' assado. Já não se aguentava, então no tumblr, nem vos digo nem vos conto. E para tentar perceber a histeria toda à volta disto decidi pegar nas minhas mãozinhas e sacar no mobile9 (que é onde eu tiro os livros para ler no telemóvel) a trilogia - ups, se calhar não devia dizer que saco os livros da net... anyway, as traduções em Portugal são uma nhanha por isso [o que é mais engraçado é que eu andei na altura à procura e não encontrei e depois de já os ter lido fui dar com eles no site da fnac, e que pelos vistos já tinham sido traduzidos sequer antes de eu ter começado a ler o primeiro volume], mais vale ler o original [por acaso esta foi a primeira vez em que eu li um livro sem ser em papel. depois tomei-lhe o gosto e olha -.

 

Hush Hush (Hush Hush)

  

 

Autora: Becca Fitzpatrick

Edição Portuguesa: Porto Editora

 

Sinopse

Para Nora Grey, as coisas românticas não fazem sentido, Nunca se sentiu muito atraída pelos rapazes da sua escola, por muito que a sua melhor amiga, Vee, a empurre para potenciais namorados. Até que conhece Patch.
Com o seu sorriso fácil e olhos que parecem perscrutar-lhe a alma, Nora sente-se atraída por ele, apesar de fazer os possíveis por lhe resistir.
Mas ao fim de uma série de encontros terríveis, Nora não sabe muito bem em quem confiar. Patch parece estar sempre onde ela está e saber mais sobre ela do que as suas amigas mais próximas. Não sabe muito bem se há-de cair nos seus braços ou fugir para o fim do mundo. E quando tenta obter algumas respostas sobre as suas origens e intenções, é-lhe revelada uma realidade infinitamente mais complexa do que tudo aquilo que Patch a faz sentir.
Porque Nora ver-se-á mesmo no meio de uma luta ancestral entre os imortais e os caídos. Terá de fazer uma escolha, mas essa escolha poderá custar-lhe a vida. 

 

Opinião

Gente do mundo que ainda não leu este livro, PAREM TUDO O QUE ESTÃO A FAZER! Larguem os tachos, as panelas, os comandos, os teclados, whatever, peguem nos vossos calcantes e dirijam-se a uma fnac/bertrand mais próxima para comprar esta maravilha.

AHAHAH agora sem idiotices. Para quem no inicio desprezava completamente este livro, até que me afeiçoei um bocadinho gigante a ele. Pronto está bem, entrei numa obsessão compulsiva pelo Patch, mas até parece que é alguma coisa condenável...

Esta história é muito high school, nos primeiros capítulos (depois do prologo que deixa um pessoa toda baralhada) somos logo transportados para a vidinha com os típicos problemas de menina de 16 anos que a Nora tem: a melhor amiga meio desvairada, a miúda que ela não suporta e que por sinal também não sustem a respiração por ela e mais um ano escolar a começar. E como nenhum livro é escrito sem os clichés iniciais, a Nora nunca se sentiu particularmente atraída por nenhum rapaz. Mas agora chegou a hora!

 

Com a nova disposição de lugares da sala de Biologia [que é sempre onde tudo acontece], ela fica como parceira laboratorial de um rapazinho chamado Patch. E não é que o tema das primeiras aulas é a reprodução humana? [que por sinal, quer seja cá em Portugal ou na Conchichina, causa sempre risinhos tótós a meio das aulas - falo por experiência própria] Mas antes de tudo, os alunos têm de fazer uma fichinha de identificação sobre os novos parceiros (do género comida favorita, música que mais gosta de ouvir, actividades nos tempos livres...) e pelos vistos o Patch não estava com muita disposição para partilhar os seus segredos. Quando deu o toque de saída, a Nora ainda não tinha nada escrito e o trabalho contava para nota. A Nora ficou furibunda da vida e mesmo depois dele ter dito que estava ocupado nessa noite (e de lhe ter dado o número de telemóvel), uma série de eventos totalmente impensáveis levaram a que ela saísse a meio da noite do conforto da sua casinha para ir ter com o rapazito, que ela detestou logo de inicio só porque mandava piadas provocadoras, a um bar que por sinal não tinha fama de servir chá e bolinhos de chocolate (e sim, tudo isto por causa de um trabalho para a escola).

 

Na Sombra do Dragão (Lover Eternal)

 

 

Autora: J. R. Ward

Edição Portuguesa: Casa das Letras

 

Sinopse

Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali, existe um bando secreto de irmãos sem igual - seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Possuído por uma criatura mortífera, Rhage é o mais perigoso membro da Irmandade da Adaga Negra.
Na irmandade, Rhage é o vampiro com o apetite mais forte. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir aos impulsos e o amante mais voraz - pois dentro dele arde uma maldição feroz imposta pela Virgem Escrivã. Refém do seu lado mais obscuro, Rhage receia as vezes em que o seu dragão interior é libertado, tornando-o um autêntico perigo para todos os que o rodeiam.
Mary Luce, uma sobrevivente das teias mais trágicas da vida, é atirada, sem querer, para o mundo vampírico, ficando dependente da protecção de Rhage. Vítima da sua própria maldição fatal, Mary não está em busca de amor. Perdeu a fé nos milagres há muitos anos. Contudo, quando a intensa atracção animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que deve ligar Mary a si próprio. E, enquanto os seus inimigos se aproximam, Mary luta desesperadamente para ganhar a vida eterna junto daquele que ama...

 

Opinião

(isto de estar a fazer a revisão do Lover Eternal a ouvir 'Us Against the World' dos Coldplay está mesmo a pedir para haver choradeira...)

Então, eu comecei a ler este livro para aí uns 15 minutos depois de ter acabado de ler o Dark Lover, portanto quase nem deu para sentir saudades. Mas minha gente, este é tão melhor que o anterior... Desta vez a história que é contada é a do Rhage, que é o Irmão que tem a maldição da besta e que quando se passa dos carretos, digamos que não solta a franga, mas anda perto disso. Isto porque quando ele sofreu a transformação andou a fazer umas asneiras que irritaram a Virgem e ela castigou-o. Neste livro são apresentados mais personagens (que por acaso depois acabaram por fazer parte dos meus preferidos), mas a central é a Mary, uma humana que está em luta contra o cancro, que já sofreu que chegue para uma vida inteira e que trabalha como voluntária numa daquelas linhas de apoio ao suicídio, onde recebe várias chamadas onde nunca se houve vozes. À parte disso, ela vive sozinha e é vizinha da Bella (que ela nem sonha que é uma vampira) com a qual se dá bastante bem. Um dia, a Mary encontra um rapaz na sua propriedade que é mudo e o qual ela ajuda. Ele tem um pulseira com uns caracteres esquisitos incorporados e quando a Bella o vê, apercebe-se logo que aquelas letras todas elegantes e enigmáticas são de facto o nome de um guerreiro na Língua Antiga (que só assim por acaso era o nome Therror - que era o nome de guerreiro do Darius).

 

As Cinquenta Sombras de Grey (Fifty Shades of Grey)

 

 

Autora: E.L. James

Edição Portuguesa: Lua de Papel

 

Sinopse

As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre. Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo para um jornal universitário. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, sombrio, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita. Todo aquele poder a assusta – os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo… E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor?

 

Opinião

Primeiro que tudo, acho fantástico como é que uma fanfiction do Crepúsculo consegue chegar a livro. Vai para além de mim, quer dizer, deve ser o sonho de todas as escritoras amadoras. Eu lembro-me de ler um bocadinho (ok, um bocadão) do Master of the Universe, mas é só mesmo disso que me lembro, e da cena da entrada da Bella no escritório, que ficou igual à do livro. Aliás, quem ao contrário ode mim seguiu as actualizações da Snowqueens Icedragon não achou diferença nenhuma nas palavras a não ser o nome dos personagens.

Quando eu peguei no Fifty Shades, foi completamente à toa, porque diziam que era o livro da moda, e que tinha sadomasoquismo e blá blá blá... Andei não sei quanto tempo para decidir se de facto lia ou não, porque a minha ideia de sadomasoquismo não me convidava o suficiente para ler sobre isso. Para mim eram algemas, chicotes, mordaças, cera quente e umas mentes um bocado desequilibradas. Não que a minha ideia tenha mudado, atenção. BDSM comigo não dá, é completamente... Ok, eu não vou julgar porque cada um tem a sua maneira de atingir prazer e eu não sou ninguém para falar. Adiante. Depois de andar para a frente e para trás, decidi que as aulas de genética num auditório quase às escuras onde só se viam powerpoint sobre cromossomas e mecanismos de transmissão genética seriam muito melhor passadas a ler. E ela aí foi. Tirando o primeiro capitulo que já tinha lido no fanfiction.net, foi tudo correndo bem ao inicio. Existiam cenas românticas, encontros ao acaso, piadas provocadoras, tudo como se fosse uma história escrita pelo Nicholas Sparks. E depois, BADABUM TUM TUM! Eis que ela chega. Do pé para mão, a Anastasia perde a virgindade com um estranho (sim porque o Christian é quase um estranho), encontra todo um quarto cheio de berloques que ela (e eu) mal sabia que existiam e depois de sofrer na pele a mão pesada do Sr. Grey, acha que aquilo é demais e rói a corda. E isto é basicamente o resumo do livro xD

 

Nómada (The Host)

Título Em Português: Nómada

Título Original: The Host

Autor: Stephenie Meyer

Lido em: Inglês

 

Sinopse:

Melanie Stryder recusa-se a desaparecer.
O nosso Mundo foi invadido por um inimigo invisível. Os Humanos estão a ser transformados em hospedeiros destes invasores, com as suas mentes expurgadas, enquanto o corpo permanece igual.
Quando Melanie, um dos poucos Humanos "indomáveis", é capturada, ela tem a certeza de que chegou o fim. Nómada, a Alma invasora a quem o corpo de Melanie é entregue, foi avisada sobre o desafio de viver no interior de um humano: emoções avassaladoras, recordações demasiado presentes. Mas existe uma dificuldade com que Nómada não conta: o anterior dono do corpo combate a posse da sua mente.
Nómada esquadrinha os pensamentos de Melanie, na esperança de descobrir o paradeiro da resistência humana. Melanie inunda-lhe a mente com visões do homem por quem está apaixonada – Jared, um sobrevivente humano que vive na clandestinidade. Incapaz de se libertar dos desejos do seu corpo, Nómada começa a sentir-se atraída pelo homem que tem por missão delatar. No momento em que um inimigo comum transforma Nómada e Melanie em aliadas involuntárias, as duas lançam-se numa busca perigosa e desconhecida do homem que amam.

 

 

Opinião com Spoilers:


Quando eu vi pela primeira vez o tamanho deste livro na fnac, ia-me dando uma coisinha má. Sim, é, eu sou capaz de ler um livro em dois dias senão tiver mais nada para fazer mas quando vejo um livro com mais de 500 páginas assusto-me.

Eu não gosto de aliens, nem ficção cientifica, nem nada que tenha a ver com extraterrestres (com excepção de Roswell e Star Wars), mas decidi dar uma oportunidade a este livro porque tal como a Stephenie dizia, era um livro de ficção cientifica para quem não gosta de de ficção cientifica. E toda a gente dizia 'como é que alguém que escreve o Crepúsculo escreve um livro tão bom como este?'. Ora, se eu já tinha gostado do Crepúsculo, como é que não ia gostar deste? E tal provou-se. Para mim, este livro foi tão, tão, TÃO!

Ok, no inicio confesso que não gostei nada, MAS MESMO NADA, de uns seres lá vindos não sei de onde, chegarem aqui à Terra e invadirem isto como se fossem quarentonas num concerto do Tony Carreira no Pavilhão Atlântico. Especialmente porque andavam atrás das pessoas como se fossem caçadores em embuscadas. E como não gostei nada, deixei de ler o livro. E só voltei a lê-lo passado um tempo, quando não tinha mais nada para ler. Retomei do ponto onde o tinha deixado, e só posso dizer que não me arrependo de nada.

 

Pág. 1/2