Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

feel the pages

uma fangirl obsessiva compulsiva opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção

sobre o blog

uma fangirl obsessiva compulsiva decidiu fazer um blog onde opina e partilha a sua experiência sobre livros de ficção, alguns já existentes em portugal, alguns ainda em tradução e outros sem lançamento previsto nesta miniatura de país.

remember. (QUASE) TODAS AS REVISÕES TÊM SPOILERS, POR ISSO BE AWARE!

A Cidade dos Anjos Caídos (City of Fallen Angels)

  

 

Autora: Cassandra Clare

Edição Portuguesa: Planeta Manuscrito

 

Sinopse

A Guerra Mortal acabou e Clary Fray está de volta a Nova Iorque, entusiasmada com todas as novas possibilidades que se apresentam à sua frente. Está a treinar para ser uma Caçadora de Sombras e poder usar o seu poder único. A mãe vai casar-se com o amor da sua vida. E, mais importante do que tudo o resto, Clary já pode finalmente chamar a Jace seu namorado.
Mas tudo tem o seu preço.
Alguém anda a assassinar Caçadores de Sombras, provocando tensões que podem conduzir a uma segunda guerra sangrenta. O melhor amigo de Clary, Simon, não pode ajudá-la. A mãe dele acabou de descobrir que o filho é um vampiro e, agora, Simon não tem casa onde viver. Para onde quer que se vire, alguém o quer do seu lado, a ele e ao poder da maldição que lhe está a destruir a vida. E eles estão dispostos a fazer o que for preciso para conseguirem aquilo que pretendem. Para agravar as coisas, Simon anda com duas belíssimas e perigosas raparigas – e nenhuma delas sabe da existência da outra.

 

Opinião

Este foi, muito provavelmente, o livro que eu demorei mais a ler durante os últimos 6 meses. É que se eu já não tivesse a faculdade para me empatar, milhentas coisas aconteceram nestas duas semanas. Até um outro livro li no meio deste xD

 




Esta Cassandra consegue sempre surpreender-me, é incesto, é poligamia... É uma festa!!! E ainda para mais o Simon, quer dizer passou de nada a tudo xD Evolui imenso desde o inicio da série (até a nível de carácter), o meu menino. Coitadinho, tive muita pena dele quando ele se quis assumir à mãe (agora compreendo a Clary, quando se diz assim até parece que ele se vai revelar homossexual) e ela entrou em histeria e disse coisas que o magoaram muito. Adoro o facto da Cassandra incluir sempre o Simon numa trama só dele, porque ela podia muito bem tê-lo feito como o amiguinho apaixonado e depois punha-o de lado quando a Clary o Jace ficavam juntos. A verdade é que o Simon representa parte da história geral que é descrita neste livro, com a sua Marca de Caim e o facto de não lhe puder acontecer nada senão lá vem a fúria divina. Confesso que não gosto particularmente de mexerem com as história das Biblia (e não, não sou católica fanática, apenas não gosto e pronto), acho que se poderiam encontrar outras aventuras com o mesmo suspense e surpresa, mas é a minha opinião.

Anyway, depois da batalha lá em Idris, ficou tudo bem, todos felizes e contentes e em paz e harmonia porque o Valentine foi para o lado de trás e o Jonathan/Sebastian/ORaioQueOParta também já está lá e não cá. Foi o culminar de todas as guerras e batalhas contra o mal e todos os outros clichés que vos possam passar pela cabeça. Era de esperar que agora a Joycelin e o Luke fossem casar, e a Clary e o Jace ficassem felizes e contentes de já não serem irmãos (nunca foram, mas pronto) e agora a história se desenrolasse com o Magnus, o Alec, o Simon e a Isabelle (ah e o Presidente Miau, que nunca mais apareceu...), mas ainda com todos os outros à mistura a combater os demónios e tal. MAS NÃO!! Tudo volta a ser desenvolvido em volta do Jace e dos problemas dele com a Clary. Porque como já dizia o meu querido Oliver Sykes, 'IT NEVER ENDS!!'. Há sempre mais alguma coisa para acontecer e destabilizar a balança da vida.

Como já tinha dito anteriormente, o Simon encruzilha-se com esta linha de desenvolvimento e puff! fez-se o chocapic. Apesar de já estar um bocadinho farta de tudo girar em volta de #Clace, consegui ainda assim gostar da forma como tudo foi pensado, o facto do Simon ter sido abordado pela Camille (DESGRAÇADA, VIESTE METER-TE NO MEIO DOS MEUS BEBÉS #MALEC E E ELES AGORA COMEÇARAM A DISCUTIR) se cruzar com a nova criação de bebés demoníacos e de a Lilith estar por trás de tudo (e com aquela surpresa que me deixou de boca aberta, quer dizer, se eu já não gostava do rapaz, ainda gosto menos dele agora que ele voltou semi-morto e ainda por cima com um caixão de cristal igual ao da branca de neve.

Por fim, quero ainda dizer que amei a referência do Magnus num sari, havia de ter sido uma coisa jeitosa de se ver. Boas leituras para todos ^^